sábado, 19 de novembro de 2011

VEJA A PROGRAMAÇÃO CULTURAL DO II FESTIVAL DA CULTURA MARAJOARA

DATA
HORA
ATRAÇÃO
MUNICÍPIO
21-11

Segunda-feira

19:00 (inicio)




23:00 (término)
Grupo Folclórico- Acauã
Recital de Poesias

Grupo Folclórico- Verequete Chula
Filme “O glorioso” Gáven Andrews
Show de Música Regional
Cachoeira do Arari
Cachoeira do Arari e Portel

Portel


22-11

Terça-feira

19:00 (inicio)




23:00 (término)
Grupo Folclórico Nuaruaques
Recital de Poesias
Grupo Folclórico Encanto Marajoara
Filme - Sou teu manhinho - Daniel Corrêa
Show - Darlan e Emilio
Ponta de Pedras
Ponta de Pedras e Breves
Salvaterra
Soure

Amigos do Marajó (Música Regional)
23-11

Quarta-feira

19:00 (inicio)





23:00 (término)
Associação Musical “Antonio Malato”
Recital de Poesias
Grupo de Teatro - Papa manga
Grupo Folclórico - Cuiapitinga
Filme – Deu Boto na Ilha do Marajó – Associação Cultural Dalcídio Jurandir
Show - Labamba e o Caroço Pretinho

Ponta de Pedras
Curralinho e São Sebastião Boa Vista
São Sebastião da Boa Vista
Curralinho
Ponta de Pedras


Muaná (Música Regional)
24-11

Quinta-feira

19:00 (inicio)


23:00 (término)
Grupo Folclórico -Caboclo Marajoara
Grupo Folclórico Papa Manga

Filme – A Festa da Cobra – Coletivo Resistência Marajoara
Show de Música Regional
Salvaterra
São Sebastião da Boa Vista

Soure

São Sebastião da Boa Vista
25-11

Sexta-feira

19:00 (inicio)




23:00 (término)
Grupo Folclórico -Verequete Cover
Recital de Poesias
Grupo Folclórico - Cruzeirinho
Filme “Perseverança” –Mauro Bandeira
Show – Renato Lú e Pedrinho Callado
Ponta de Pedras
Muaná
Soure

São Sebastião da Boa Vista

Amigos do Marajó (Música Regional)
26-11

Sábado

19:00 (inicio)

23:00 (término)
Grupo Folclórico- Paracauri
Recital de Poesias
Grupo Folclórico- Aruãs
Filme – A Lenda da Cobra Grande – Coletivo Resistência Marajoara
Show - Heliana Marajó
Salvaterra
Salvaterra
Soure
Ponta de Pedras

Bagre (Música Regional)
27-11


Domingo

19:00 (inicio)


21:00
Banda Municipal
Coral de Vozes e Libra
Grupo Folclórico Encanto Marajoara
Show - Vavá Bandeira, Márcia Sidônio e Rafael Evangelista
Melgaço
Portel
Salvaterra
Breves, Muaná e Ponta de Pedras (Música Regional)

3 comentários:

  1. Desejo que este evento seja repleto de sucesso!

    ResponderExcluir
  2. Para quem vale a “lei”
    Estamos vivendo um “estado de direto e democrático” em que as leis só favorecem àqueles que detêm o poder. Ficamos a mercê de uma corja de falsos legisladores que entendem muito bem seu papel na sociedade: servir as elites econômicas e políticas. Isso é histórico e cultural, pois nossa educação sempre foi voltada para os que usufruem das articulações dos dominantes, excluindo a maioria da população.
    Como educadores ficamos entre a “cruz e a espada” ao explicar para os nossos alunos que lei deve ser cumprida, mas para uma determinada parcela da população. Os exemplos são vários em nossa sociedade. Os mais recentes dizem respeito ao Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos trabalhadores da educação no Pará e a Lei do Piso. Depois de três anos seguidos de debates, greves e aprovação na Assembléia Legislativa, em julho de 2010, a ex-governadora Ana Júlia Carepa homologou o PCCR da categoria da educação. Porém o governo atual só implantou o que lhe era conveniente levando os professores com pós-graduação a perdas no vencimento e usando de propaganda enganosa contra a categoria da educação afirmando que não tem verba para pagar o Piso. Ou seja, o salário mínino do professor que hoje está em 1.187,00 reais. Com a previsão de no ano de 2012 chegar a 1.450,00 reais.
    Enquanto o discurso do governo tenta mostrar para nossos alunos e seus responsáveis que ganhamos “muito bem” e na há porque grevar, nossos parlamentares ganham um salário entorno de 12.000,00 reais, somando-se ao salário as verbas extras que podem chegar a mais de 100.000,00 reais, o que para muitos, infelizmente, é de direito. Como sempre, para aqueles cuja força emana da luta, só resta à inversão da Lei. Saímos como vilões de uma situação em que nossos direitos são violados, uma vez que, temos que explicar para a sociedade que o errado é o governo por não cumprir a Lei do Piso. Enquanto isso os meios de comunicação manipulam os discursos para levar a população a crer que os professores é que estão errados (exemplos são: professores grevam por 60 reais ou governo paga 94,5% do piso). Como era de se esperar o judiciário mostrou novamente as garras ao considerar a greve abusiva, sem levar em conta que a lei não está sendo cumprida por parte do governo.
    Em mais uma ação arbitrária o governo descontou de vários educadores por conta da Greve. Devemos continuar a luta. Os exemplos são diversos de insatisfação em relação à política educacional e desvalorização dos educadores no Brasil. As leis que favorecem os trabalhadores só permanecem quando os mesmos vão para o enfrentamento de classe e na luta enraízam na sociedade suas melhorias. Não é o judiciário, nem o governo, nem o patrão que bondosamente proporcionam melhores condições aos trabalhadores, mas estes organizados para o enfrentamento. Para finalizar é necessário citar o trecho de uma das letras de Chico Sciense “(...) O medo dá origem ao mal. O homem coletivo sente a necessidade de lutar. O orgulho, a arrogância, a glória enche a imaginação de domínio. São demônios os que destroem o poder bravio da humanidade...”. Se temermos agora o mal só vai tender a aumentar.
    Professor Mestre Allan Silva
    Professor Mestre Alex Ruffeil

    ResponderExcluir
  3. Daniel, fiz mais uma postagem sobre a divisão do Pará, especialmente aos paraenses, com os argumentos prós e contras. Convido você a acessar e ler. Um seguidor meu, nessa postagem, pediu minha opinião sobre essa divisão, saiba qual é. Um abraço.
    http://professorgadomski.blogspot.com

    ResponderExcluir